Interiores que encantam

Como ter a decoração que surpreenda a todos.

O design de interiores trata de como vivenciamos os espaços. É uma parte poderosa e essencial de nossa vida diária e afeta a maneira como vivemos, trabalhamos, nos divertimos e até mesmo nos curamos. Casas confortáveis, locais de trabalho funcionais, belos espaços públicos. É uma profissão multifacetada em que soluções criativas e técnicas são aplicadas dentro de uma estrutura para alcançar um ambiente interno construído. Essas soluções são funcionais, aumentam a qualidade de vida e a cultura dos ocupantes e são esteticamente atraentes.

QUAIS SÃOS OS PRINCIPAIS CONCEITOS DE DESIGN  DE INTERIORES A SEREM APLICADO?

A repetição

Repetir elementos no design de interiores como cor, forma ou textura pode ajudar a unificar um espaço e criar uma experiência visual consistente. Tapetes incompatíveis, esquemas de cores diferentes ou janelas criam confusão em um espaço quando não são compatíveis com o estilo escolhido pelo cliente.

A escala

A escala se refere à relação entre dois ou mais objetos. Ela é fundamental na arquitetura e no design de interiores, pois essas disciplinas trabalham com várias medidas padronizadas, como alturas de bancadas, larguras de corredores e tamanhos de cadeiras. Compensar esses elementos de tamanho padrão com outros elementos em tamanhos e alturas diferentes pode criar um interesse visual realmente divertido em um espaço. Ao aplicar este princípio ao design de interiores do dia-a-dia, podemos brincar com o tamanho e a escala das obras de arte, plantas e espaços negativos. Essas áreas oferecem uma maneira bastante simples de dar aos olhos algo interessante para focar.

A proporção

A proporção geralmente anda de mãos dadas com a escala, mas é sutilmente diferente. Onde a escala descreve a comparação de objetos uns com os outros, a proporção tem mais a ver com a forma como os móveis e os objetos se parecem em um espaço, bem como em relação uns aos outros. Obter a proporção certa no design de interiores é complicado e muitas vezes atribuído a alguém que tem um “olho para o design” que resulta em uma sensação de conforto e harmonia. 

A harmonia

Este princípio é usado para colocar uma pessoa à vontade em seu ambiente e criar unidade, eliminando assim qualquer sentimento de inquietação. A harmonia, em certo sentido, fornece o ‘ponto final’ para qualquer design de interiores – quando a harmonia está em vigor, o espaço deve parecer completo porque todas as suas partes se relacionam e se complementam. Essa sensação é o resultado de equilíbrio, escala, proporção e repetição, todos sendo usados ​​nas quantidades certas. Harmonia é a medida pela qual julgamos se um espaço funciona ou não.

O equilíbrio

A definição de equilíbrio é a distribuição uniforme dos elementos existentes no ambiente. Um design de interiores equilibrado faz exatamente isso; cria igualdade e simetria que os olhos amam. Mas, como acontece com a maioria desses princípios, se aplicado com muita rigidez, pode se tornar enfadonho. Melhorar o seu equilíbrio com outros aspectos pode ser o caminho do design para torná-lo um pouco menos formal.

O constraste

Usando  combinações certas de materiais e cores podemos trazer resultados inimagináveis pelos clientes. E este uso de contrastes pode ser aplicado tanto para cores de paredes, tecidos, decoração e materiais de acabamento. Quanto mais bem pensado o projeto dentro deste conceito maior é o impacto positivo no local.

www.dcarquitetura.com.br

Uma consideração sobre “Interiores que encantam”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s